Segredos da pele masculina - Emagrecendo Urgente

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Segredos da pele masculina


Fatores fisiológicos, externos e comportamentais conferem à pele masculina especificidades que a diferenciam da pele das mulheres, face às quais são necessários cuidados diários adequados, com formulações desenvolvidas à medida e capazes de dar resposta a preocupações bem definidas.
 A pele do homem apresenta características específicas, que se devem especialmente à influência hormonal. Com efeito, a segregação de hormonas sexuais masculinas é muito mais elevada nos homens, o que explica que a sua pele, órgão hormonodependente, apresente diferenças face à pele das mulheres, tanto do ponto de vista fisiológico como estrutural.
Não sendo diferenças fundamentais, tratam-se de variações na forma como se expressam certos fenómenos da pele.
Pele mais espessa
Experiências efetuadas em indivíduos de ambos os sexos, medidas em ecografia ultrassónica, demonstraram que a pele do homem é mais espessa face à da mulher (mais 16%, em média), o que a torna sensivelmente mais resistente. Este aspeto foi demonstrado, quer na pele do rosto, quer na das costas da mão.
Tal como para a epiderme e para a camada córnea, a espessura da derme é, ela também, mais importante no homem do que na mulher. Em todas as idades, correlativamente à sua espessura, a derme do homem apresenta uma densidade superior de colagénio.
Inversamente, o tecido adiposo sub-cutâneo é mais espesso na mulher do que no homem. Além disso, a distribuição do tecido adiposo sub-cutâneo varia segundo o sexo: no homem, a gordura acumula-se na zona superior do corpo (tórax, abdómen, ventre), enquanto que na mulher se concentra na região inferior (coxas e quadris).
No que diz respeito à organização do tecido adiposo, a desigualdade entre sexos é também flagrante. Com efeito, a configuração dos lóbulos gordurosos é específica da mulher, sendo estes encarcerados em divisórias perpendiculares, que acentuam a sua pressão sobre a epiderme.
Esta disposição traduz-se, a nível da superfície cutânea, por um aspeto irregular, correntemente chamado “casca de laranja”, característico da celulite, que afeta essencialmente as mulheres. Em contrapartida, no homem, os lóbulos são mais pequenos e dispostos mais obliquamente, diferindo assim pelo seu sistema de ancoragem às camadas subjacentes.